arte-dengue

 

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria Municipal de Saúde, responsável pela prevenção e controle de doenças no município, informou, nesta quinta-feira (2), que, no mês de janeiro último foram registradas apenas 04 notificações de casos de Dengue, em Morrinhos, e apenas 02 confirmados. “É uma ótima notícia, pois, no ano passado no mesmo período, já haviam sido registrados mais de 170 casos”, pontua a coordenadora do Núcleo, Josyane Cruvinel acrescentando ainda que em janeiro de 2016, foram registradas 128 notificações.

Para o prefeito Rogério Troncoso, o número de casos da dengue em Morrinhos praticamente chegou a zero neste mês de janeiro de 2017, graças às ações que a Prefeitura e a sociedade vêm desenvolvendo para detectar e eliminar os criadouros do mosquito Aedes aegypti que, além da dengue, transmite também a Chikungunya e o zika vírus. A comunidade tem participado efetivamente dos trabalhos de prevenção de formação de criadouros do mosquito, colocando o lixo nas ruas e limpando seus quintais, contribuindo muito para que Morrinhos registrasse apenas 04 notificações e apenas 02 confirmações de dengue em janeiro deste ano. Graças a essa efetiva participação da nossa população, estamos conseguindo vencer a batalha contra o Aedes aegypti em nosso município”, relata o prefeito Rogério Troncoso.

“A população sempre respondeu positivamente ao nosso apelo para participar mais ativamente das atividades que visam o combate ao mosquito Aedes aegypti, pois só a atuação conjunta do governo e da população levará ao controle da doença em nosso município. E, felizmente, todos os segmentos da nossa sociedade estão conscientes que devem se empenhar cada vez mais nas ações destinadas a eliminar os focos de criação do mosquito vetor”, comenta o secretário de Saúde, André Luiz.

O secretário observa, entretanto, que o pequeno número de casos de notificações de dengue, neste começo de ano, não pode ser motivo para a população se acomodar e diminuir seu cuidado com os criadouros do mosquito que, aliás, deve, sim, ser intensificado. “Não podemos vacilar em momento algum, diminuindo as ações contra a proliferação do mosquito e é importante a comunidade fazer a sua parte. É bom lembrar que é exatamente nos meses de fevereiro, março, abril e maio, que ocorre a maior incidência de casos”, sublinha o secretário.

Nunca é demais lembrar que o trabalho de prevenção dos focos do mosquito Aedes aegypti depende do envolvimento de todos. Os moradores devem realizar ações simples, como eliminar qualquer tipo de água parada, desentupir as calhas, tampar caixas d’água, telar ralos e secar os vasinhos de plantas, que podem virar criadouros certos para a dengue.

O mosquito Aedes aegypti tem hábitos domésticos e se prolifera, na maioria das vezes, dentro das residências, onde se formam 85% dos criadouros. A presença dos agentes de combate à dengue cumprem rotinas de visitas residenciais que são muito importantes para a eliminação dos focos de criação do mosquito da dengue, da chikungunya e do zika vírus.

Os agentes realizam inspeções criteriosas em depósitos, terrenos baldios, caixas d’água, calhas, telhados e no interior das residências. Aplicam larvicidas e inseticidas quando necessário e orientam a população a respeito da prevenção e controle de doenças, como dengue, chagas, leptospirose e raiva.

E o cidadão não pode nunca esquecer que está em vigência a lei que obriga os proprietários, locatários, possuidores ou responsáveis, a qualquer título, por imóveis no Município de Morrinhos a permitir o ingresso, nos mesmos, do agente de saúde e/ou da autoridade fiscal, responsável pelo trabalho de controle do mosquito, para a realização de inspeção, verificação, orientação, informação, aplicação de inseticida ou qualquer outra atividade específica de combate ao vetor, por se tratar de risco iminente à saúde pública e à vida. Quem não obedecer a essa determinação estará sujeito às infrações e penalidades previstas em lei e que resultarão no pagamento de multas.

Governo da Cidade de Morrinhos
O Povo em Primeiro Lugar
Por Jorivê Siqueira