CREAS oferece atendimento especializado para crianças, adolescentes e idosos

OK DSC_0003

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) é uma unidade pública estatal responsável pela oferta de orientação e apoio especializados e continuados a indivíduos e famílias que tiveram seus direitos violados. Para isso, envolve um conjunto de profissionais e processos de trabalho que devem ofertar apoio e acompanhamento especializado. O principal objetivo do Creas é o resgate da família, potencializando sua capacidade de proteção aos seus membros e fortalecendo a autoestima dos indivíduos usuários, e seus familiares, para que haja fortalecimento entre os membros da família dos usuários, e reinserção dos mesmos na sociedade”.

Em Morrinhos, a Prefeitura Municipal, por meio do CREAS desempenha suas atividades eficazmente no combate ao crescente número de violações dos direitos da criança, do adolescente e do idoso. Sob a coordenação da experiente Cecília Rosa da Silva Souza, é um órgão de grande importância para a sociedade local, pois, sua preocupação maior é proteger e resgatar os laços familiares. Para desempenhar satisfatoriamente suas funções, o Creas conta com o apoio total e irrestrito da Promotoria Pública, das polícias Militar e Civil, do Conselho Tutelar, do Cras e outros serviços.

“Atuamos de acordo com as denúncias que recebemos pelo DISQUE 100, pelo Ministério Público, pelas polícias Civil e Militar, Conselho Tutelar e também pelo CRAS, que trabalha na área de prevenção básica. Quando há um direito violado, o CRAS traz a informação até o CREAS. Recebemos também as denúncias espontâneas quando a própria pessoa pode vir a nossa sede e denunciar sem medo, porque seu nome não será revelado, sob hipótese alguma; o sigilo é total e a denúncia é fundamental para nos ajudar a resguardar os direitos de nossas crianças, nossos adolescentes e nossos idosos. Feita a denúncia, tomamos as primeiras providências. Se confirmarmos que a denúncia é verídica, entramos em contato com a família com a qual discutiremos a melhor forma de solucionar o problema que, hoje, infelizmente, atinge um grande número de lares”, lamenta Cecília.

Violações dos direitos dos idosos
“Quando tomamos conhecimento de que o direito de uma pessoa idosa é, foi ou está sendo violado, fazemos o atendimento e o acompanhamento das vítimas, com a assistência de duas psicólogas. As denúncias de violações de direitos chegam até o Creas por demanda espontânea, quando a pessoa liga para cá ou comparece pessoalmente para formalizar a denúncia”, esclarece Cecília.

No momento, mais de 40 idosos recebem acompanhamento do Creas. Deste total, 60% são homens e 40% mulheres, segundo a Coordenadora do órgão. “Em Morrinhos, os homens sofrem mais violações de direitos que as idosas. As vítimas dos abusos têm entre 70 e 85 anos, moram com filhos e netos, sozinhos, ou com as esposas, em menor quantidade. Alguns moram em instituições de acolhimento ao idoso. Registramos, em média, cerca de 3 denúncias de violação de algum direito do idoso que, para nós, infelizmente é índice alto”, conta Cecília.

As pessoas idosas mantêm-se com o que recebem da aposentadoria, pensão ou do Benefício de Prestação Continuada (BPC). São poucos os que vivem com o que ganham realizando trabalhos leves. Geralmente, os cuidadores são filhos, netos ou outros parentes; mas também há idosos independentes. A Coordenadora do CREAS revela que hoje não existe mais afetividade por parte de familiares para com seus idosos, a não ser que vejam a possibilidade de tirar alguma vantagem financeira deles. Cuidadores particulares são poucos. Há ainda idosos acamados ou internados em instituições e idosos que, embora precisem, não têm cuidadores.

“As práticas de violações dos direitos dos idosos que mais acontecem, pela ordem, são: negligência, violência psicológica, violência financeira e violência física. Em menor quantidade aparecem conflitos familiares, abandono, maus tratos, autonegligência, situação de rua, violência institucional e até mesmo algumas poucas situações de cárcere privado”, completa Cecília.

COMO DENUNCIAR
Violências e violações de direitos de idosos devem chegar aos serviços de saúde, aos Cras e Creas, às polícias Civil e Militar e à Promotoria Pública, através do disque 100. Se você sabe de alguma ocorrência neste sentido, DENUNCIE, SEM MEDO.

Violências contra crianças e adolescentes
O Creas trabalha também com crianças e adolescentes que são vítimas de abuso sexual. “Infelizmente, hoje, o maior número de denúncias é a prática de violência sexual praticada contra crianças, registrando uma média de 4 a 5 por semana. Temos também as medidas socioeducativas, que são executadas nas próprias instalações do Creas, em salas construídas especificamente para atender à demanda. Lá, trabalha uma dedicada e competente equipe de servidores treinados para fiscalizarem e fazerem o acompanhamento do cumprimento dessas medidas, de acordo com o que determina o juiz, visando à reinserção desse adolescente na sociedade. Hoje, o Creas acolhe cerca de 50 adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. Para tanto, contamos com uma equipe composta por uma assistente social, que é a Cláudia Lopes; duas psicólogas, que são a Marcela Antunes e Ana Celi; duas educadoras sociais, a Luciana Guimarães e a Lorraine; duas arteterapeutas, Luzmaia e a Reissa. No Departamento Administrativo, contamos com a Lorraine Cristina e o motorista Rafael”, salienta Cecília.

Além de crianças, adolescentes e idosos, o CREAS presta, ainda, assistência a mulheres vítimas de abusos domésticos e quaisquer pessoas que tenham sofrido violação de seus direitos. “O trabalho do CREAS não funciona sem o envolvimento da sociedade e de seus segmentos. Dessa forma, para que haja uma intervenção efetiva, o Creas deve manter estreita relação com entidades de atendimento de âmbito governamental e contar com a colaboração da população do município denunciando casos ou suspeita de violência”, finaliza Cecília.

OK DSC_0004

Governo da Cidade de Morrinhos. O Povo em Primeiro Lugar!
Redação e fotos: Assessoria de Comunicação Social (Assecom)