3.515 imóveis visitados no Mutirão contra a Dengue

02

DSC_0020

DSC_0050

A mobilização contra a dengue da última terça-feira, 19 de janeiro, deu continuidade às ações de combate à dengue no município. Foram visitados 3.515 imóveis, totalizando 128 quadras. Os agentes vistoriaram 2.431 imóveis e encontraram focos de dengue em 80. Além disso, 1.084 deles estavam fechados e moradores de 6 residências não aceitaram a visita. A iniciativa foi realizada pela Prefeitura de Morrinhos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Departamento de Posturas, Bombeiros Militares e os agentes de saúde e de endemias, com o objetivo de evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Na sequência, nesta terça-feira (19), os agentes de saúde e de endemias, juntamente com o prefeito Rogério Troncoso e sua equipe de assessores, Vice-prefeito, Tércio Menezes, Secretário Municipal de Saúde, André Luiz, Coordenador Geral dos PSFs em Morrinhos, José Ricardo Mendonça, Assessor Especial de Gabinete, Sabará Medeiros, Comandante do Corpo de Bombeiros de Morrinhos, Major Renato Simões, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Alex Timbete, Secretário de Comunicação, Jailson Silva, entre outras lideranças, participaram de mais um arrastão contra a dengue nos bairros Vila Nova, Jardim América e Setor São Francisco de Assis. A iniciativa teve como objetivo conversar com os moradores e visitar as residências a fim de identificar possíveis focos do mosquito transmissor da dengue.

Segundo o prefeito Rogério Troncoso, esta luta contra a dengue precisa contar com a participação de toda a comunidade, poder público municipal e entidades civis e religiosas. “Quero parabenizar os moradores desses bairros porque vemos que os quintais estão bem cuidados com o intuito de evitar a água parada. Estamos vendo os resultados das nossas campanhas de conscientização e vemos que as famílias estão preocupadas e se esforçando para acabar com o Aedes Aegypti. Todos nós juntos vamos diminuir os focos do mosquito”, salienta.

Maria Silva de Jesus mora na Vila Nova e afirma que todos precisam se esforçar e cuidar das suas casas. “Aqui a gente sempre limpa o quintal, retira o lixo e coloca as tampinhas e vasilhas viradas para baixo. Vamos evitar água parada e acabar com a dengue”, enfatiza.

Outras ações
No próximo sábado, 23 de janeiro, será realizado mais um mutirão de ação coletiva, desta vez nas Vilas Santos Dumont, Mutirão e Nossa Senhora do Carmo, e que contará com a participação das igrejas locais que tomaram a iniciativa de organizar o movimento.”É muito gratificante ver a vontade que as igrejas estão tendo de participar e ajudar do combate ao mosquito da dengue. É uma atitude bastante louvável por parte de seus líderes que nos anima muito, pois, precisamos estar todos juntos para diminuir a proliferação do mosquito”, destaca o Secretário Municipal de Saúde, André Luiz.

O Secretário explica ainda que, durante o mutirão, os agentes de endemias vão atuar em conjunto com o pessoal das igrejas, entrando nas casas e mostrando como se faz o combate aos criadouros do mosquito. “Vamos mostrar na prática como funcionam as ações de combate à dengue. Esperarmos visitar o maior número possível de residências, porque o trabalho mais importante que fazemos é conscientizar as pessoas sobre sua responsabilidade de ajudar no combate. Não temos como ficar entrando todo dia da semana na casa de todo mundo. Então, cada morador precisa estar consciente de aquele pedacinho ali, onde ele mora, é de responsabilidade dele e, portanto, é ele que tem que fazer esse trabalho de combate, que deve ser corriqueiro. Toda semana, é preciso tirar 10 minutos e fazer uma vistoria total na sua casa para ver se não tem nenhum criadouro por lá”, orienta André Luiz.

Segundo o Secretário de Saúde, com o período chuvoso e o sol quente, que costuma fazer depois que a chuva cai, o número de criadouros do mosquito tende a aumentar, com a formação de poças d’água parada por todos os lugares. “É exatamente durante o período chuvoso que registramos maior incidência de casos de dengue e quero enfatizar que não adianta combater o mosquito que está por aí voando; não adianta ficar batendo repelente, precisamos eliminar os criadouros. Só assim, estaremos combatendo a proliferação”, explica.

”As igrejas sempre estiveram presentes nas questões sociais e, portanto, não podem ficar de fora das ações de combate à dengue, principalmente neste momento. Portanto, é muito importante e indispensável que todas elas nos ajudem nesses momentos difíceis. Todos precisamos participar da guerra contra o mosquito Aedes aegypti”, conclui o prefeito Rogério Troncoso.

DSC_0073

03

05

09

DSC_0016

04

Governo da Cidade de Morrinhos. O Povo em Primeiro Lugar!
Redação e fotos: Assessoria de Comunicação Social (Assecom)
Por Ellen Ribeiro