Morrinhos mobiliza ações em prol à Luta Antimanicomial

Morrinhos mobiliza ações em prol à Luta Antimanicomial

Nesta semana, em comemoração ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial – 18 de maio, a Secretaria de Saúde através do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS estão promovendo ações voltadas ao movimento que marcou a reforma do sistema de saúde mental, que propõe a quebra do estigma da loucura, tratada por séculos com métodos considerados questionáveis e desumanos em pacientes com transtornos mentais em reclusão. O tema deste ano é: “Liberdade é o melhor cuidado”.

Em Morrinhos, as ações estão acontecendo desde o dia 14 e  segue até 17 de maio e também serão realizadas em departamentos da Prefeitura de Morrinhos sob a responsabilidade da Secretaria de Saúde (veja, abaixo, a programação completa).

As atividades têm como objetivo apresentar a importância das ações compartilhadas nos dois CAPS e com a Residência Terapêutica do município, e visam potencializar os pacientes. “O foco é cuidar com a promoção da cidadania e mostrar que essas pessoas têm potencialidades, desejos e direito à liberdade, e assim discutir uma nova forma de cuidado”, afirmou a coordenadora do CAPS I, Natasha Azeredo.

“O grande objetivo é fazer com que pessoas portadoras de doenças mentais deixem de ser internadas por muito tempo em hospitais psiquiátricos e manicômios”, reforçou o secretário de Saúde, André Luiz Dias Mattos. “As pessoas não podem ser retiradas de seu convívio, elas precisam ser relocadas na sociedade para que continuem recebendo o tratamento adequado em liberdade e não fechadas em manicômios. Se necessário, este tratamento deve ser extensivo aos familiares”, finalizou.

 

Programação

Dia 14
Horário: às 8h
Local: Praça do Mercado

Dia 15
Horário: às 8h
Local: CAPS AD – Campeonato de pingue-pongue

Horário: às 15h
Local: CAPS I – Boliche

Dia 16
Horário: às 15h
Local: Residência Terapêutica – Chá da tarde

Dia 17
Horário: às 11h
Local: CAPS I – Almoço

 

Para que serve o CAPS

De responsabilidade do município, os dois CAPS – Viva a Via e AD – de Morrinhos atende prioritariamente pacientes graves em crise que, ao estabilizarem, são referenciados às Unidades Básicas de Saúde para acompanhamento ambulatorial, onde o paciente pode ficar em permanência dia e noite até a estabilização do quadro. Durante esse período são desenvolvidas ações de tratamento e de reabilitação e inclusão psicossocial com a família de modo a não cronificar a pessoa, como ocorria na internação manicomial. “Os CAPS oferecem um tratamento global aos pacientes, pois é formado por uma equipe multidisciplinar, entre coordenador, psiquiatra, psicólogo, assistente social, enfermeiros, educador físico entre outros que também trabalham com oficinas terapêuticas”, complementou André Luiz.